Um pouco de mim

Meus melhores pensamentos Ι minhas idiossincrasias Ι um pouco de mim.

quinta-feira, 5 de junho de 2014


Caro amigo, me dirijo a VOCÊ que defende o Projeto NovoRecife, e a VOCÊ, que já ouviu falar mas não tem posição. Escrevo com o objetivo, talvez inútil, de lhe convencer de que o ‪#‎OcupeEstelita‬ é na verdade também A SEU FAVOR. Escrevo pra lhe alertar de que as discussões que este movimento levantou sobre as qualidades e legalidades do Projeto NovoRecife são fundamentais mas escondem o que, pra mim, é o VERDADEIRO CENTRO destas manifestações. Arquitetura, Urbanismo, Patrimônio Histórico e Cultural etc..., lhe asseguro que não há consenso sobre estes assuntos nem DENTRO do movimento. O que de fato parece unir as mais de 10 mil pessoas envolvidas nesta luta é algo que talvez seja importante TAMBÉM PRA VOCÊ: o direito de influenciar o FUTURO da cidade em que vivemos. Se você acredita em democracia e ama o Recife também deve ter opiniões sobre como ele poderia ser melhor. Porém, como é raro um consenso sobre o que é O MELHOR, é essencial que as cidades possuam plataformas onde seu desenvolvimento seja NEGOCIADO entre os que vivem ali. Cidades não são mais agradáveis porque são mais ricas ou tem melhores gestores, e sim porque possuem melhores mecanismos para equacionar – de forma mais democrática, justa e inclusiva – os vários interesses que a fazem se desenvolver e melhorar. O que o #OcupeEstelita veio demonstrar (só pelo fato de existir!) é que as plataformas institucionais de negociação que controlam o desenvolvimento do Recife estão FALIDAS e precisam EVOLUIR. O prefeito Geraldo Júlio o demonstra quando diz que, aprovado em sua gestão, o Projeto NovoRecife “seria melhor”. O consórcio NovoRecife o demonstra quando aceita, por pressão da sociedade, duplicar o valor das contrapartidas para a cidade. Ora, se o projeto era bom e o mecanismo de aprovação justo e legal, por que a concessão? Não, caro amigo, se os processos de desenvolvimento urbano do Recife fossem saudáveis teríamos hoje mais áreas verdes, esgoto, fiação embutida, e uma malha de transporte eficiente e multimodal. Ora, a bicicleta existe a mais de 100 anos, porque só agora se fala em ciclovias, e não a 50, 60 anos como na Europa? Ah tá, porque na época nossa melhor ideia foi a Dantas Barreto… Garanta o seu direito de participar desta (R)evolução! ‪#‎ResisteEstelita‬ #OcupeEstelita Texto de Carlos Fernando Eckhardt

Nenhum comentário:

Postar um comentário