Um pouco de mim

Meus melhores pensamentos Ι minhas idiossincrasias Ι um pouco de mim.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Natureza Presente

Poste-se hoje diante de você! Agora reveja todos os teus conceitos, foram concebidos? formado na tua mente? Ou pré-concebidos? Há preconceito dentro do teu conceito? Fale todas as tuas verdades, mesmo que não as aceite verdadeiramente. Pense e lembre-se de todas as tuas mentiras, reflita sobre elas, foram realmente necessárias? O que é necessário hoje para teu presente? Isso mesmo teu presente, estais presente nele? Ou andas ansioso(a) pelo teu futuro? Futuro, teu futuro! Tens medo dele!? Não? Melhor que tenhas, aproveitando ao máximo no teu presente, organizando-se e planejando-se para olhar, observar e sentir: A clareza da Lua A energia do Sol A Leveza do Ar A força da água A firmeza da Terra E toda a beleza abundante e generosa da natureza, que podes desfrutar presentemente com amor, sem mentiras, preconceitos, trazendo em si a cura de qualquer dor. Paula Santana – 10/12/2014 (Pôéminha)

quinta-feira, 5 de junho de 2014


Caro amigo, me dirijo a VOCÊ que defende o Projeto NovoRecife, e a VOCÊ, que já ouviu falar mas não tem posição. Escrevo com o objetivo, talvez inútil, de lhe convencer de que o ‪#‎OcupeEstelita‬ é na verdade também A SEU FAVOR. Escrevo pra lhe alertar de que as discussões que este movimento levantou sobre as qualidades e legalidades do Projeto NovoRecife são fundamentais mas escondem o que, pra mim, é o VERDADEIRO CENTRO destas manifestações. Arquitetura, Urbanismo, Patrimônio Histórico e Cultural etc..., lhe asseguro que não há consenso sobre estes assuntos nem DENTRO do movimento. O que de fato parece unir as mais de 10 mil pessoas envolvidas nesta luta é algo que talvez seja importante TAMBÉM PRA VOCÊ: o direito de influenciar o FUTURO da cidade em que vivemos. Se você acredita em democracia e ama o Recife também deve ter opiniões sobre como ele poderia ser melhor. Porém, como é raro um consenso sobre o que é O MELHOR, é essencial que as cidades possuam plataformas onde seu desenvolvimento seja NEGOCIADO entre os que vivem ali. Cidades não são mais agradáveis porque são mais ricas ou tem melhores gestores, e sim porque possuem melhores mecanismos para equacionar – de forma mais democrática, justa e inclusiva – os vários interesses que a fazem se desenvolver e melhorar. O que o #OcupeEstelita veio demonstrar (só pelo fato de existir!) é que as plataformas institucionais de negociação que controlam o desenvolvimento do Recife estão FALIDAS e precisam EVOLUIR. O prefeito Geraldo Júlio o demonstra quando diz que, aprovado em sua gestão, o Projeto NovoRecife “seria melhor”. O consórcio NovoRecife o demonstra quando aceita, por pressão da sociedade, duplicar o valor das contrapartidas para a cidade. Ora, se o projeto era bom e o mecanismo de aprovação justo e legal, por que a concessão? Não, caro amigo, se os processos de desenvolvimento urbano do Recife fossem saudáveis teríamos hoje mais áreas verdes, esgoto, fiação embutida, e uma malha de transporte eficiente e multimodal. Ora, a bicicleta existe a mais de 100 anos, porque só agora se fala em ciclovias, e não a 50, 60 anos como na Europa? Ah tá, porque na época nossa melhor ideia foi a Dantas Barreto… Garanta o seu direito de participar desta (R)evolução! ‪#‎ResisteEstelita‬ #OcupeEstelita Texto de Carlos Fernando Eckhardt

quarta-feira, 4 de junho de 2014

“Clitóris, Prazer Proibido”

O documentário inédito
“Clitóris, Prazer Proibido”
explora o órgão cuja única função é proporcionar prazer às mulheres. Médicos, educadores sexuais, estudiosos do comportamento e mulheres em geral dão depoimentos sobre o tema. Por séculos, o clitóris conseguiu a façanha de aparecer e desaparecer diversas vezes. O primeiro anatomista a fazer referência a essa parte do corpo feminino foi Ronaldo Columbus, em 1559, quando o descreveu como a “cidade do amor”. O filósofo francês René Descartes, 100 anos depois, achou que tivesse feito a descoberta. Para ele, sem o prazer clitoriano, as mulheres não se submeteriam à maternidade. Mas depois disso, o clitóris caiu no esquecimento por muitos anos, até que em 1884, George Cobald publicou uma série de desenhos que não poderiam mais ser negligenciados pela ciência. Uma das entrevistadas no documentário é a médica Helen O´Connell, pesquisadora de Melbourne considerada uma das especialistas em clitóris. Ela explica o funcionamento do órgão e afirma que não há um “ponto G”. Segundo a entrevistada, o clitóris é maior do que se pensa, e está ligado a todo orgasmo feminino. Veja o documentário neste link: http://videos.blog.br/clitoris-prazer-proibido-documentario/

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

DO DESEJO

Quem és? Perguntei ao desejo.
Respondeu: lava. Depois pó. Depois nada.


I
Porque há desejo em mim, é tudo cintilância.
Antes, o cotidiano era um pensar alturas
Buscando Aquele Outro decantado
Surdo à minha humana ladradura.
Visgo e suor, pois nunca se faziam.
Hoje, de carne e osso, laborioso, lascivo
Tomas-me o corpo. E que descanso me dás
Depois das lidas. Sonhei penhascos
Quando havia o jardim aqui ao lado.
Pensei subidas onde não havia rastros.
Extasiada, fodo contigo
Ao invés de ganir diante do Nada.


II

Ver-te. Tocar-te. Que fulgor de máscaras.
Que desenhos e rictus na tua cara
Como os frisos veementes dos tapetes antigos.
Que sombrio te tornas se repito
O sinuoso caminho que persigo: um desejo
Sem dono, um adorar-te vívido mas livre.
E que escura me faço se abocanhas de mim
Palavras e resíduos. Me vêm fomes
Agonias de grandes espessuras, embaçadas luas
Facas, tempestade. Ver-te. Tocar-te.
Cordura.
Crueldade.


III

Colada à tua boca a minha desordem.
O meu vasto querer.
O incompossível se fazendo ordem.
Colada à tua boca, mas descomedida
Árdua
Construtor de ilusões examino-te sôfrega
Como se fosses morrer colado à minha boca.
Como se fosse nascer
E tu fosses o dia magnânimo
Eu te sorvo extremada à luz do amanhecer.



IV

Se eu disser que vi um pássaro
Sobre o teu sexo, deverias crer?
E se não for verdade, em nada mudará o Universo.
Se eu disser que o desejo é Eternidade
Porque o instante arde interminável
Deverias crer? E se não for verdade
Tantos o disseram que talvez possa ser.
No desejo nos vêm sofomanias, adornos
Impudência, pejo. E agora digo que há um pássaro
Voando sobre o Tejo. Por que não posso
Pontilhar de inocência e poesia
Ossos, sangue, carne, o agora
E tudo isso em nós que se fará disforme?

Existe a noite, e existe o breu.
Noite é o velado coração de Deus
Esse que por pudor não mais procuro.
Breu é quando tu te afastas ou dizes
Que viajas, e um sol de gelo
Petrifica-me a cara e desobriga-me
De fidelidade e de conjura. O desejo
Esse da carne, a mim não me faz medo.
Assim como me veio, também não me avassala.
Sabes por quê? Lutei com Aquele.
E dele também não fui lacaia.

(Hilda Hilst)

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Mary e Max (Uma Amizade Diferente)


Crítica: Mary e Max

Animação depressiva explora improbabilidades em busca do significado da amizade

Por: Érico Borgo


Mary e Max
Mary e Max
Mary e Max
Mary & Max (Mary and Max, 2009), animação longa-metragem de stop-motion escrita e dirigida por Adam Elliot, é uma exploração de improbabilidades. O filme tem em sua premissa uma chance ínfima e acaba ele mesmo um em um milhão: uma produção com personagens de massinha que resulta absolutamente tocante.
Depressivo no tom e no visual (seria mais sensato chamá-lo de desenho "desanimado", já que muito pouco efetivamente acontece na tela), o filme acompanha dois personagens solitários, cujas vidas se cruzam pelo maior dos acasos: uma página aleatória aberta em uma lista telefônica. Motivada por uma dúvida infantil, a australianaMary Daisy Dinkle, 8 anos, decide escrever ao nova-iorquino Max Jerry Horowitz, 44 anos. Junto à carta, alguns desenhos, uma barra de chocolate e a dúvida: "de onde vêm os bebês nos Estados Unidos". A correspondência inocente muda a vida de ambos para sempre, iniciando uma história que transcorre por mais de uma década.
A direção de arte é inspiradora. Elliot, dono de um Oscar de curta animado (Harvie Krumpet, 2003), opta por protagonistas caricatos e quase malfeitos de tão simples. Os cenários são muito mais ricos - a Austrália e seus tons terrosos contrastando com a cinzenta Nova York. É tudo proposital. Enquanto uma Pixar capricha em seus personagens principais por dentro e por fora, o animador se arrisca em recheá-los de dor e dúvida, sem uma superfície fofinha e cativante.
Com o palco montado, inicia-se uma longa e verborrágica discussão filosófica sobre religião, vida em sociedade, sexo, amor, confiança e, principalmente, a importância e o significado da amizade. As cartas também refletem a caótica estrutura racional de remetente e destinatário, sempre com um monotonia instigante. Ideias brilhantes ("se ao menos houvesse uma equação matemática para o amor") surgem e são abandonadas em função de outra melhor, mais inocente ou simplesmente irrelevante.
Apesar de tratar de um tema quase extinto, os "pen pals", amigos de correspondência, algo bastante comum poucas décadas atrás, Mary & Max encontra reflexo curioso na modernidade de redes sociais e programas de mensagens instantâneas. Memórias de amigos virtuais não se apagam mais queimando-se as cartas... mas nos blocks deletesde perfil.
Toni Collette (Pequena Miss Sunshine) dubla Mary ePhilip Seymour Hoffman (Capote) empresta uma irreconhecível voz a Max. O personagem, aliás, é do tipo que o ator oscarizado aprecia. Mas falar mais sobre ele arruinaria algumas surpresas. Fique com a certeza que os personagens podem ser de massinha, mas o suor e as lágrimas que eles vertem são assustadoramente reais e perturbadores.
Onde Comprar  o DVD:
Mercado Livre ou Buscapé por 29,90 (Disponível)



segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Sabor colorido



Mel...eu quero mel 
Quero mel de toda flor 
Da rosa, rosa, rosa amarela encarnada 
Branca como cravo, lírio e jasmim 
Eu quero mel pra mim 
 


Mel...você quer mel? 
Quero mel de toda flor
Da margarida sempre viva, viva 
Gira, gira, girassol
Se te dou mel pode pintar perigo 
E logo aqui, no meu quintal 
Cuidado, pode pintar formiga, viu?
 


Mel... eu quero mel 
Quero mel de toda flor
Colorido sabor...do mel de toda flor
Antes que um passarinho aventureiro 


Que beija um beijo, doce sabor
Sabor colorido
 


Mel... eu quero mel 
Quero mel de toda flor 
Da assussena, violeta, flor de lís 

Flor de lótus, flor de cactos 
Flor do pé de buriti 
Dália, papoula, crisântemo 
Sonho maneiro, sereno, fulô do mandacaru 

Fulô do marmeleiro, fulô de catingueira 
Fulô de laranjeira, fulô de jatobá 
Das imburanas, baraúnas, pé de cana 
Xique-xique, mel da cana, cana do canavial 
Vem me dar um mel que eu quero me lambuzar
 


Mel... eu quero mel 
Quero mel de toda flor
Antes que um passarinho aventureiro 

Que beija um beijo, doce sabor
Sabor colorido


Geraldo Azevedo

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Saúdo: Eu e a Yoga


Depois de 4 anos volto a fazer práticas de Yoga, essa mesma yoga que havia me salvado de vicíos como cigarros, crises de TPM e estress; ontem foi minha 3ª  prática e tudo pareçe fluir melhor...harmonizando o corpo e mente...tomando consciência de mim e respeitando as limitações exigidas.
Um exercício para minha mente, minha alma e meu corpo ainda fica agradecido.

"O AUTOCONHECIMENTO É IMPOSSÍVEL SE NÃO FORMOS ALÉM DA NOSSA EXISTÊNCIA SUPERFICIAL, QUE É MERO RESULTADO DE EXPERIÊNCIAS EXTERIORES SELECIONADAS PELA MEMÓRIA, UMA REPRESENTAÇÃO INEXATA OU UMA TRADUÇÃO APRESSADA, INCOMPETENTE E FRAGMENTÁRIA DE UMA PEQUENA PARTE DO NOSSO GRANDE SER - PRECISAMOS IR ALÉM DISSO E LANÇAR A NOSSA SONDA BEM FUNDO NO INCONSCIENTE, PRECISAMOS ABRIR-NOS AO SUPERCONSCIENTE PARA CONHECER A RELAÇÃO QUE EXISTE ENTRE ESSAS COISAS E O NOSSO SER SUPERFICIAL. PORQUE É ENTRE ESSAS TRÊS COISAS QUE A NOSSA EXISTÊNCIA SE MOVIMENTA, E É NELAS QUE ENCONTRA A SUA TOTALIDADE." - SRI AUROBINDO


"O QUE FOR A PROFUNDEZA DO TEU SER, ASSIM SERÁ TEU DESEJO. O QUE FOR O TEU DESEJO, ASSIM SERÁ TUA VONTADE. O QUE FOR A TUA VONTADE, ASSIM SERÃO TEUS ATOS. O QUE FOREM TEUS ATOS, ASSIM SERÁ TEU DESTINO."
(BRHAD ARANYAKA UPANISHAD)


"O YOGA É COMO A MÚSICA: O RITMO DO CORPO, A MELODIA DA MENTE E A HARMONIA DA ALMA CRIAM A SINFONIA DA VIDA. "
B.K.S. IYENGAR .




segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Salve a capoeira!!


Esse meu menino tem ginga ele agora é da capoeira, da várzea do capibaribe, com o mestre  Betão, no projeto da Prefeitura do Recife, através da Sec. de Educação Esporte e lazer, com o programa Círculos Populares de Esporte e Lazer, fazendo valer a garantia do direito básico de todo cidadão.

Tem um tempo que venho tentando encontrar, uma forma de convencer meu filho a participar de alguma atividade física e atrelado a isso um envolvimento sociocultural, então busquei a escola de circo e ele desistiu, jogar futebol? nem na quadra entrou, na escola de Arte no Teatro, a primeira peça, ele ficou irritado e pediu pra sair, porque se negava a fazer um cachorro falante; o interesse era apenas, computador x jogos OnLine, play2 e DVD, um menino totalmente eletrônico, sem vida social e começando a ganhar alguns quilinhos.

Aproveitando a deixa da escola, que organizou uma feira de conhecimento onde um  dos temas trabalhados foi a capoeira, ele chegou todo empolgado falando e contando histórias fazendo alguns passos, não perdi um só tempo fui logo, falando pra ele da capoeira e perguntando se ele não gostaria de participar; e para minha grande surpresa aceitou de imediato; não perdi tempo na mesma semana, corri pra comprar um abadá e com sorte foi logo, herdando o abadá do filho de um amigo, marquei tudo pra chegar cedo do trabalho e acompanha-lo nesse nova etapa que vai ser nas nossas vidas.

Como Mãe consciente e preocupada com a saúde física e mental do meu único filho, já senti nele uma melhora significativa, já fazia algum tempo que não o via mais interessado em brincar com os bonecos e bichinhos, passear no parquinho, tudo isso esse final de semana ele fez, inclusive de brincar com a meninada na praça, a capoeira vai salvar meu filho.

Salve a capoeira, salve betão, salve a rapaziada da várzea do capibaribe, salve a saúde fisica e mental, salve a iniciativa e ao programa. (CPEL)...Salveee..Salveee, celebrar o final desse ano com um grande salve...salve a vida!


terça-feira, 16 de novembro de 2010

Pedido ao Santo Errado


                                                                  










                                      x



Não basta rezar, tem que saber pra quem reza e o que deseja, existe santo pra tudo, cada um com sua especificidade, no meu feriado caseiro, o que mais desejei foi ter minha casa, minha vida, bem longe dos bombardeios de música religiosa dos meus vizinhos de Deus.

Organizando a bagunça do meu quarto encontro um santinho que não era mais da minha candidata, fui logo chamando de São Benedito, não demorei muito e pedi que ele me ajudasse a comprar minha casa nesse ano que entra bem longe daqui, pensando eu, que estava pedindo para o tal santo expedito o santo das causas urgentes, algo raro  aconteceu porque nunca faço pedido a santo nem a santa; foi um impulso olhei no papelzinho que tinha Expedito e pedi ao Benedito fiz o pedido ao santo errado, nem sabia qual era sua especialidade.

Pra falar a verdade não conheço nada de santo e nem de santa, sei que o expedito é os da causa urgente e impossíveis, porque ele é os dos santos mais famosos, do mundo dos santos e sei que tem santa até com meu nome Santa Paula, depois vou pesquisar qual a graça dela.

Pesquisando sobre o São Benedito, descubro que ele é meu irmão de cor, então bem que os dois santos poderiam juntos, esquecer esse mal entendido e  me darem essa forcinha ao meu pedido, como pagamento pra não ficar devendo nada, faria mil santinho de cada um e distribuiria na festa do Morro da conceição. Será que paga? Promessa é divida.